Tolerância: uma necessidade social

Entenda como a tolerância pode mudar as relações sociais no seu dia a dia!

Por Cassio Donizete Marques* | Foto: Shutterstock | Adaptação web Isis Fonseca

Tolerância

Quero iniciar minha reflexão sobre tolerância, um tema muito caro para a sociedade contemporânea, contando sucintamente um fato que um professor relatou. Eram seis horas da manhã e ele estava indo ao trabalho na cidade de São Paulo e não sabe dizer o que ocorreu, qual foi a motivação que levou a moça a tomar tal atitude: se ele a fechou no farol, se ele a ultrapassou indevidamente.

O fato é que, ao parar no farol, ela, de dentro de seu carro, apontou uma arma para ele e o xingou. Ele, ainda meio sonolento, disse para ela que, se fosse mulher, era para atirar.

Lembro seu comentário e seu espanto ao dizer que se às seis horas da manhã uma pessoa já estava tão nervosa a ponto de pegar uma arma e ameaçar o outro sem um bom motivo (se é que existe bom motivo para ameaçar alguém com uma arma), como esta pessoa estaria ao final do dia? Metralhando quem olhar para ela?

Se o trânsito consegue tirar nossa tolerância, que dirá outras coisas? Entendo que a tolerância é um valor e virtude humana, bem como uma necessidade social. Antes de entrar numa discussão mais conceitual de tolerância quero apontar historicamente como sua presença poderia ter mudado a história e evitado tantas tragédias.

Ela deve ser um aspecto central tanto na vida privada como na vida em sociedade. Você deve primeiramente ser tolerante com você mesmo, conhecendo seus limites e buscando superá-los se assim quiser, mas nunca deve negar seu ser e sua existência, pois isso pode levá-la a uma autodestruição. Você deve ser tolerante
com o outro, seja ele mais próximo de você ou mais distante.

Muitas famílias se destroem por falta de tolerância, muitas pessoas são demitidas de seus empregos, por falta de tolerância. Uma pequena contradição/contrariedade pessoal muitas vezes basta para pôr fim a um relacionamento de anos. Muitas injustiças sociais e até mesmo guerras poderiam ser evitadas se a tolerância estivesse presente.

É possível afirmar que, até mesmo o nazismo poderia ter sido evitado, caso a tolerância prevalecesse. Enfim, a tolerância é uma das bases da vida seja individual ou social.

Não estou aqui sendo ingênuo e colocando a tolerância como valor absoluto e grande ‘salvadora da pátria’, mas ela merece ser cultivada no dia a dia, uma vez que não nascemos tolerantes ou intolerantes, mas ela é uma virtude assim como praticamente todas as outras que deve ser construída diariamente.

Muitas questões podem se apresentar a partir destas considerações, entre elas: existe limite para se tolerar, é possível vislumbrar uma situação em que a tolerância causou mais prejuízos do que ganhos?

Quero compartilhar que toda ação que caminha para uma das extremidades acaba trazendo resultados não desejados, acaba se desvirtuando de seu propósito primeiro, principalmente quando se trata de virtude, uma vez que ela se localiza na justa medida e todo excesso ou falta é sua degeneração e deixa de ser virtude. Tudo o que é demais pode trazer prejuízos, assim como tudo o que é de menos também pode trazer prejuízos.

Adaptado do texto “Tolerância: um valor humano e uma necessidade social” da Revista Filosofia Ciência & Vida Ed. 131

*Cassio Donizete Marques é professor de Filosofia do Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (CEUNSP).

Assine a Revista Filosofia Ciência & Vida e tenha acesso a conteúdos exclusivos!

<